.

Isaquias leva 4º pódio e cola em Scheidt e Torben, maiores medalhistas do país

JBelmont

07Ago2021

Por Belmont às 00h06

Velejador baiano, medalha ouro no C1 1000m em Tóquio, iguala a marca de Serginho e Gustavo Borges e tem o objetivo de se tornar o brasileiro com mais conquistas em Olimpíadas

Com a medalha de ouro na final do C1 1000m nas Olimpíadas de Tóquio, Isaquias Queiroz dá sequência a um projeto que estabeleceu depois dos três pódios que colecionou na Rio 2016 - façanha obtida só por ele em toda a história olímpica nacional.

 




O baiano, que agora tem quatro conquistas em Jogos, empatou com Serginho (vôlei) e Gustavo Borges (natação). Apenas dois atletas chegaram a cinco medalhas pelo país no megaevento: os velejadores Robert Scheidt, ainda na ativa, e Torben Grael, já aposentado de competições olímpicas.

Isaquias poderia até mesmo empatar com os dois ícones da vela, mas bateu na trave da prova do C2 1000m, cuja final foi realizada na quarta-feira. Ao lado de Jacky Godmann, terminou a distância na quarta posição, atrás de barcos de Cuba, China e Alemanha.

Com apenas 27 anos, Isaquias chegará às Olimpíadas de Paris-2024 ainda no topo da forma física, e com um benefício. O programa da canoagem velocidade vai mudar para os Jogos na capital parisiense: saem as provas de 1000m e entram as de 500m, bastante favoráveis ao brasileiro.

Isaquias foi tricampeão mundial no C1 500m (em 2013, 2014 e 2018) e campeão mundial no C2 500m (também em 2018). Previsão de mais pódios à vista.

g1

Deixe seu comentário

Perfil do Blogueiro

JBelmont
José J Belmont Natural de São José de Campestre RN Radialista, ex vereador de Mossoró e ex deputado estad…
Leia +