Médico suspeito de assassinar idosa no RN é investigado como mandante da morte de ex-mulher, motorista de ambulância e agricultor

JBelmont

09Jan2019

Por Belmont às 20h55

Foto de Wilson Jales empunhando armas está anexada aos inquéritos que apuram os assassinatos dos quais ele é suspeito de ser o mandante — Foto: Cedida/Polícia Civil 



O médico que foi preso suspeito de matar uma idosa e tentar matar o marido dela em Olho D'Água do Borges, interior do Rio Grande do Norte, é investigado em outros três inquéritos, todos de homicídio. Segundo o delegado Sandro Régis, que apura todos os casos, o ortopedista Wilson Edino de Freitas Jales é apontado como mandante do assassinato de sua ex-mulher, de um motorista de ambulância e de um agricultor, todos no Oeste potiguar.

Wilson Jales e outros três suspeitos foram detidos nesta quarta-feira (9) em uma ação conjunta envolvendo policiais civis e militares. Os quatro estavam em um bar, no Centro da cidade de Patu. Com eles foram apreendidas uma pistola, uma caminhonete e drogas.

A prisão aconteceu logo após os tiros contra o casal. O idoso conseguiu escapar correndo para dentro de um matagal. Já a mulher dele, a agricultora Francisca Alves Silva Oliveira, de 68 anos, foi baleada e morreu na hora.

O médico está preso na Delegacia Regional de Patu e, segundo a Polícia Civil, ainda não tem defesa oficialmente constituída.

O caso
O casal caminhava pela RN-078, em um trevo que dá acesso às cidades de Patu e Rafael Godeiro, quando foi alvo dos disparos. O crime aconteceu por volta das 5h. De acordo com o delegado Sandro Régis, o grupo agiu por “pura perversidade”, sem motivo aparente.

Ainda segundo Sandro Regis, o médico também é suspeito de ter mandado matar outras pessoas na região, incluindo ele próprio. “Ele já mandou matar muita gente aqui, e já disse que ia mandar me matar também”, revelou o delegado.

Outros inquéritos
Os outros inquéritos nos quais Wilson Jales é investigado são de crimes que aconteceram em Messias Targino e Patu. Ambas as cidades estão sob a jurisdição do delegado Sandro Régis, que comanda a Delegacia Regional de Patu.

Rita de Cássia Medeiros de Souza, de 47 anos, estava na varanda da casa com a mãe e um filho, quando foi assassinada a tiros, na cidade de Messias Targino. O crime aconteceu em 15 de fevereiro de 2015. De acordo com a polícia, dois homens saíram do matagal e efetuaram vários disparos de espingarda calibre 12 e calibre 44 contra Rita de Cássia. Ela era ex-mulher de Wilson.

Adolfo Maia, de 38 anos, estava na calçada da casa dele, em Patu, brincando com os filhos, quando foi baleado. Ele era motorista de ambulância. Foram oito disparos que atingiram Adolfo, assassinado no dia 6 de outubro de 2017. De acordo com o delegado, esse homicídio também teria acontecido a mando do médico.

O terceiro caso aconteceu no ano passado, também em Patu, no dia 25 de julho. A vítima foi Rawlinsin Rousseau Monteiro Carlos Godeiro, agricultor de 42 anos de idade. Rawlinsin Rousseau voltava de uma fazenda para a cidade, quando foi executado.

Os três casos ainda estão sob investigação, no entanto o delegado Sandro Régis aponta o médico Wilson Jales como o principal suspeito de ser o mandante dos crimes.



Atualizado em 16/02/2015 13h24


Empresária é morta a tiros na frente da família em fazenda no interior do RN

Crime aconteceu na noite deste domingo em Messias Targino.
Rita de Cássia Medeiros, de 47 anos, morreu no local.

Uma empresária foi morta com vários tiros na noite deste domingo (15) na fazenda da família localizada na zona rural de Messias Targino, município da região Oeste do Rio Grande do Norte. Rita de Cássia Medeiros de Souza, de 47 anos, estava na varanda da casa com a mãe e um filho que presenciaram o crime.

De acordo com a polícia, dois homens saíram do matagal e efetuaram vários disparos de espingarda calibre 12 e calibre 44 contra Rita de Cássia. A vítima era proprietária do parque de vaquejadas da cidade e tinha empresas no ramo de confecções.

Um dos bandidos ainda disparou contra o filho dela, mas ele conseguiu fugir.

Em 2010 a empresária foi presa em Recife por envolvimento em uma quadrilha de clonagem de cartões de crédito. Outras duas irmãs dela também foram presas na ocasião pelo mesmo motivo. De acordo com a polícia, Rita de Cássia é a terceira pessoa da mesma família que é assassinada. O pai dela e um irmão também foram mortos.

A polícia não tem pistas sobre a motivação do homicídio de Rita de Cássia.

G1

Deixe seu comentário
Insira os caracteres conforme a imagem acima.

Perfil do Blogueiro

JBelmont
José J Belmont Natural de São José de Campestre RN Radialista, ex vereador de Mossoró e ex deputado estad…
Leia +