.

Poço é religado após 16 dias em Tibau e abastecimento de água deve se normalizar em 48 horas, diz Caern

15 Jan2021

Por Jbelmont às 09h25


A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) religou, no final da noite desta quinta-feira (14), o poço da cidade de Tibau, no Oeste potiguar, que estava sem abastecer a cidade desde o dia 29 de dezembro, quando uma bomba caiu a 380 metros de profundidade.

A água foi reservada ao longo da madrugada para ser iniciada a distribuição à 5h da manhã desta sexta-feira (15).

De acordo com a Caern, a previsão é que a normalização ocorra em 48 horas para Tibau. Para atendimento, a cidade foi dividida em duas. Nesta sexta-feira (15), a água irá para o setor do Centro, e por volta das 5h da manhã do sábado irá para o setor das Emanuelas.

Ao constatar o aumento de vazão no poço, que ocorreu após o desgaste da bomba presa à tubulação, a estatal informou que decidiu aproveitar a água captada para distribuir na cidade. Foi colocado um novo conjunto motobomba para captar agua a uma profundidade de 180 metros.

De acordo com o gerente da Regional Oeste, Márcio Bruno Dantas, o poço estará sendo monitorado, pois passou por uma recuperação recente. “Continuaremos acompanhando o desempenho do poço. Pois tivemos um problema de alta complexidade e vamos manter o monitoramento do mesmo”, disse.


Esforços operacionais foram feitos pela equipe da Caern e Geopetro, que permaneceram trabalhando para retomar o abastecimento da cidade. O trabalho envolveu equipamentos de grande porte e o desafio de trabalhar com a bomba que ficou a 380 metros de profundidade.

Na semana passada, a Justiça havia determinado que a Caern realizasse abastecimento do município com carros-pipa enquanto o problema não era resolvido.

29/12 - Início do problema com a queda dos componentes (colunas, cabos e conjunto motobomba) no poço. A bomba caiu quando a Companhia realizava o rebaixamento do equipamento, pela redução do nível da água no poço.
30/12 - Içamento (pescaria) dos equipamentos. A Caern retirou os cabos e colunas do poço, entretanto a bomba ficou presa a uma profundidade de 380 metros.
31/12 – A empresa tentou montar o poço com outra bomba, mas não teve sucesso, pois a bomba presa impedia a passagem de água que seria bombeada
02/01 - Caern confecciona novo equipamento pescador, de grande porte, para içar bomba
03/01 - O pescador é utilizado no poço, com tentativas realizadas até a madrugada de 04/01, foram retirados do poço, canos PVC e resto de cabos com auxílio de guindaste.
04/01 - Foram realizadas três tentativas de pescas sem sucesso, em cada descida eram feitos ajustes no pescador. O serviço seguiu até a manhã da terça-feira (5)
06/01 - É iniciado trabalho com uma sonda
08/01 – A sonda retirou parte de peças da tubulação
09/01 – Um novo pescador foi confeccionado para fazer rotação e puxar a bomba. Equipe trabalhou até a manhã de domingo (10). Mais equipamentos foram retirados, mas cerca de um metro da bomba ainda permaneceu preso à tubulação
11/01 – Houve limpeza do poço e avaliação de passagem de água. A sonda continuou fazendo a rotação (girando) a bomba presa à tubulação.
12/01 – O pescador, que é uma peça de grande diâmetro e altura foi alterada, com a construção de ganchos, para que a mesma prendesse e fizesse o desgaste da lateral da bomba. A ferramenta ficava girando e desgastando a bomba
13/01 – Durante a manhã, a ferramenta continuou fazendo o desgaste da bomba. As medidas operacionais surtiram efeito e a passagem da água foi constatada.
14/01 - Boa vazão de água permite religar o poço com o uso de outra bomba, bem acima da que está presa.

G1RN

Deixe seu comentário

Manaus recebe cilindros de oxigênio de São Paulo e de empresa fornecedora

15 Jan2021

Por Jbelmont às 07h07

Dois aviões da FAB fizeram o transporte do material para ajudar os hospitais da capital do Amazonas, que entraram em colapso após recorde das internações por Covid-19 .
Por G1

Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) carregados com cilindros de oxigênio chegaram a Manaus no início da madrugada desta sexta-feira (15). Eles foram enviados de Guarulhos (SP) para ajudar na crise de saúde que assola o estado do Amazonas. Nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o governo não tinha transporte para mandar os cilindros por conta própria (leia mais abaixo).

O sistema de saúde amazonense entrou em colapso após as internações por Covid-19 no estado baterem recorde. Sobrecarregados, os hospitais ficaram sem oxigênios para pacientes. Médicos transportando cilindros nos próprios carros para levar ao hospital e familiares tentando comprar o insumo foram algumas das cenas registradas pelo G1 nesta quinta. Doentes começaram a ser levados para outros estados. Cemitérios estão lotados e instalaram câmaras frigoríficas.

De acordo com informações da FAB, os dois aviões Hércules que levavam os cilindros para Manaus decolaram do Aeroporto Internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira. O último voo saiu por volta das 20h30, com 6 cilindros de oxigênio. As aeronaves pousaram na capital amazonense no início da madrugada desta sexta-feira.

No total, 386 cilindros de oxigênio foram transportados, com mais de 18 toneladas. Eles serão utilizados pelos hospitais no atendimento aos pacientes da Covid-19 no estado.

Deixe seu comentário

O Governo adianta parte da folha de janeiro e 13ª de 2018; veja quem recebe hoje

15 Jan2021

Por Jbelmont às 06h52

O Governo do Estado deposita a primeira parcela do salário do mês de janeiro nesta sexta-feira (15). O adiantamento cumpre o acordo junto a representantes da classe dos trabalhadores, que se estenderá pelo resto do ano após promessa cumprida ao longo de 2020.

Serão R$ 240 milhões depositados na economia potiguar nesta segunda quinzena de janeiro. Recebem o salário integral os servidores cujo rendimento é de até R$ 4 mil (valor bruto), entre ativos, inativos e pensionistas, e toda a categoria da Segurança Pública. Também será adiantado 30% de quem recebe acima desse valor.

Ainda nesta sexta-feira, 15, será paga a integralidade do décimo terceiro salário para a categoria da Segurança Pública que recebe até R$ 3,5 mil. Os servidores das demais áreas, e que recebem até R$ 3.500,00 (líquido), recebem o “décimo” de 2018 no próximo dia 30. Isso correspondente ao pagamento de 54% do funcionalismo do Estado, totalizando aproximadamente R$ 90 milhões.

No próximo dia 30, o Governo do Estado também quita o salário de janeiro com o pagamento dos 70% restantes para quem recebe acima de R$ 4 mil e o salário integral para servidores lotados em pastas com recursos próprios, totalizando uma folha de mais de R$ 490 milhões.

“O Governo quitará a terceira das quatro folhas deixadas pela última gestão com responsabilidade, sem atrasar um único dia o salário dos trabalhadores ou prejudicar os serviços essenciais à população. E não só isso, mas também equilibrando as contas públicas do Estado”, ressaltou o secretário estadual de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire.

 

Grande Ponto

Deixe seu comentário

Autoridades temem que nova cepa do coronavírus se espalhe com transferência de pacientes de Manaus

15 Jan2021

Por Jbelmont às 06h47

Um dos temores de autoridades com a transferência de pacientes de Manaus para outros estados era a possibilidade de a nova cepa do coronavírus se espalhar com velocidade para outras regiões. O governador do estado, Wilson Lima (PSC-AM), dizia que não havia outra alternativa —a não ser deixar que os doentes morressem sufocados nos hospitais da cidade.

A tragédia da falta de oxigênio para pacientes de Covid-19 em Manaus (AM) mobilizou autoridades do Judiciário e do Legislativo, que pressionaram o governo de Jair Bolsonaro para tomar providências mais efetivas contra a crise. O Ministério da Saúde enviou a algumas delas um documento intitulado “Operação Oxigênio”, com uma lista de procedimentos que já estavam sendo tomados —como a transferência de pacientes para outros estados.

Uma tabela mostrava os estados que teriam leitos para receber os brasileiros de Manaus. A situação era dramática: nove deles tinham ocupação média de mais de 70% das UTIs. E não poderiam receber os pacientes. Na lista vermelha estavam Pernambuco (83%), Mato Grosso do Sul (80%), Paraná (80%), Espírito Santo (79%), Rondônia (78%), Santa Catarina (75%), Rio Grande do Sul (74%), Bahia (73%) e Minas Gerais (71%).

O documento afirmava ainda que a White Martins, que fornece o oxigênio medicinal, tinha “condições de manter uma ponte aérea”, levando o produto “de Guarulhos a Manaus” transportando “5 mil m³ por perna”. Mas desde que a FAB (Força Aérea Brasileira) levasse os recipientes vazios de volta a Guarulhos.

As autoridades receberam relatos dramáticos de profissionais de saúde que atuam na cidade. Uma médica do hospital 28 de agosto relatou, por exemplo, que pacientes estavam recebendo morfina para não sentirem a angústia do sufocamento.

A coluna entrou em contato com a direção do hospital —mas as instituições estão orientadas a não passarem informações para os jornalistas. Qualquer contato, só via Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas. Que também não retornou às chamadas.

FOLHAPRESS

Deixe seu comentário

Maduro autoriza e empresa vai buscar oxigênio para hospitais do Amazonas na Venezuela

15 Jan2021

Por Jbelmont às 06h45

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, orientou que sua diplomacia atendesse ao pedido do governo do Amazonas para liberar uma carga de oxigênio hospitalar da White Martins produzida no país. O chanceler chavista Jorge Arreaza disse que conversou nesta quinta-feira, 14, com o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), após o sistema público entrar em colapso no Estado.

“Por instruções de Maduro conversei com o governador do Amazonas, Wilson Lima, para colocar imediatamente à disposição o oxigênio necessário para atender a contingência sanitária em Manaus. Solidariedade latino-americana antes de tudo!”, expressou o ministro Arreaza. Lima agradeceu em nome do povo amazonense.

Principal fornecedora do oxigênio hospitalar no Amazonas, a empresa White Martins comunicou que buscaria o estoque disponível em suas operações na Venezuela e que tentaria viabilizar a importação para abastecer o Estado. “A White Martins já identificou a disponibilidade de oxigênio em suas operações na Venezuela e, neste momento, está atuando para viabilizar a importação do produto para a região”, disse a empresa em nota.

Segundo o Ministério Público, a White Martins alegou “não possuir logística suficiente para atender a demanda” no País. A companhia disse que a demanda do Amazonas chegou a 70 mil metros cúbicos por dia, após aumentar cinco vezes nos últimos 15 dias. Ao mesmo tempo, a empresa disse que realiza uma “grande operação por vias fluvial e aérea” para trazer oxigênio de fábricas localizadas em outros Estados no Brasil, com apoio das Forças Armadas e governos.

Desde o ano passado, a diplomacia bolivariana tem tentado uma trégua com Brasília. Em agosto de 2019, por exemplo, a chancelaria chavista ofereceu ajuda durante as queimadas na Amazônia. No ano passado, sugeriu o arquivamento das diferenças políticas e ideológicas em prol de um esforço continental sanitário para lidar com a pandemia do novo coronavírus. O próprio Maduro chegou a dizer, em julho, que gostaria de ter uma “coordenação efetiva com autoridades governamentais e de saúde”. O Itamaraty ignorou.

Brasília e Caracas começaram um processo de afastamento no fim do governo Dilma Rousseff. Hoje, os países mantêm relações mínimas. Bolsonaro determinou o fechamento das representações diplomáticas em Caracas e no restante do País. Além disso, cassou o status diplomático dos representantes de Maduro em Brasília. Eles são agora “personae non gratae”.

Em tese, o governo Maduro poderia barrar a exportação para o Brasil administrativamente. Desde o início da pandemia, o governo Bolsonaro já usou do expediente de controlar a exportação de insumos hospitalares com alta demanda, como o comércio de respiradores pulmonares, álcool em gel e máscaras.

ESTADÃO

Deixe seu comentário

Trator roubado da prefeitura de Mossoró é localizado pela polícia em Guamaré

15 Jan2021

Por Jbelmont às 00h00

Agentes da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos de Mossoró, recuperaram nesta quinta-feira 14 de janeiro, o trator da Secretaria da Agricultura, que havia sido furtado da Feira do Bode, no último domingo, dia 10.

O Delegado Rafael Arraes, usou as redes sociais para anunciar a recuperação da máquina. O trator foi localizado na cidade de Guamaré. Ele não deu detalhes sobre a descoberta. Disse apenas que um trabalho investigativo de sua equipe resultou na localização do trator.

Os detalhes da investigação, serão repassados à Imprensa Mossoroense somente na próxima segunda feira (18), tendo em vista que, segundo a autoridade policial, as investigações ainda estão em andamento.

Deixe seu comentário

Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos

14 Jan2021

Por Jbelmont às 22h51

A médica residente Gabriela Oliveira, do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), diz que a falta de oxigênio deixa os profissionais desesperados.

"O que eu vivi hoje, nem nos meus piores pesadelos eu pensei que poderia acontecer. Não ter como assistir paciente, não ter palavras para acalentar um familiar. Isso é uma coisa que vai ficar uma cicatriz eterna nos nossos corações (...). Já não temos mais saúde mental para lidar com a situação que Manaus está enfrentando. Hoje acordamos no nosso pior dia, a falta do oxigênio em algumas instituições nos deixou desesperados. É muito angustiante a gente não ter o que fazer", disse ela.

CONTINUAR LENDO AQUI

 

Deixe seu comentário

'A gente conseguiu salvar quem dava. Foi assustador', diz médico em Manaus sobre falta de oxigênio nos hospitais

14 Jan2021

Por Jbelmont às 22h12

Um médico usou seu perfil do Instagram na noite desta quinta-feira, dia 14, para relatar como foi enfrentar a falta de oxigênio no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), em Manaus, anunciada pela manhã, descrevendo o cenário, que atingiu demais unidades de saúde da capital do Amazonas, como "assustador", que causou "sensação de impotência", mas sem perder o esforço contínuo por salvar cada vida tanto quanto fosse possível. Pacientes morreram por asfixia, enquanto outros precisaram de técnica de respiração manual, exigindo manobras esforçadas dos profissionais de saúde.



Foi um momento desesperador — disse Anfremon D'Amazonas. — Tinha muita gente chorando porque os pacientes morriam e você não tinha o que fazer. A gente teve três perdas. De 27 pacientes, a gente perdeu três. Cada uma dessas perdas chocou demais a equipe. É aquela sensação de impotência. Você sabe que aquele doente precisa naquele momento de oxigênio e é a única coisa que você não tem para ofertar.



Desabafo de médico no Ceará repercute: 'Enquanto você posta foto na praia, na balada ou no bar, estamos vendo a segunda onda vir'

O profissional contou no vídeo que a equipe fez o que era possível para garantir o bem-estar dos pacientes.

— A gente tentou, na medida do possível, não deixar ninguém sem (oxigênio). E aqueles que toleravam um pouquinho mais, a gente foi personalizando esse racionamento de acordo com a gravidade e necessidade de cada paciente — afirmou. — A deterioração do corpo da pessoa sem o nível adequado de oxigênio é muito rápida. Os doentes dessaturam muito rapidamente, a pressão começa a cair. O doente morre de uma forma muito rápida. Foi bem dramático. Foi assustador.



Pandemia: Governador do AM decreta toque de recolher em meio a aumento de casos de Covid-19 e falta de oxigênio hospitalar

Ele parabenizou os demais funcionários do HUGV diante de todo o esforço empregado em um momento tão difícil.


— Apesar de assustador, a equipe reagiu muito bem a todo o cenário. A gente conseguiu salvar quem dava, cara, quem podia. Infelizmente, não deu pra todo mundo — acrescentou, ainda abalado.

EXTRA

 

Deixe seu comentário

Decreto do governo prevê que Casa Verde e Amarela atenda 1,2 milhão de famílias até o fim de 2022

14 Jan2021

Por Jbelmont às 21h52

Foto: (pmcongonhas – div)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou nesta quinta-feira (14) um decreto que regulamenta o programa Casa Verde e Amarela, substituto do Minha Casa Minha Vida.

O texto, que estabelece como meta o atendimento de 1,2 milhão de famílias até o fim de 2022, só será publicado no “Diário Oficial da União” desta sexta-feira (15), mas a Secretaria-Geral da Presidência da República antecipou alguns trechos.

Um deles diz que o decreto determina que famílias comandadas por mulheres sejam priorizadas para atendimento com dotações orçamentárias da União e com recursos de alguns fundos. Também terão prioridade, segundo divulgado pelo Palácio do Planalto, famílias de que façam parte pessoas com deficiência, idosos, crianças e adolescentes.

De acordo com a Secretaria-Geral, o decreto trata de critérios e periodicidade para a atualização dos limites de renda e das subvenções econômicas com recursos orçamentários da União.

O texto divulgado pelo governo nesta quinta-feira informa que o Ministério do Desenvolvimento Regional poderá estabelecer outros critérios de priorização, bem como facultar a estados e municípios e às entidades privadas sem fins lucrativos promotoras de empreendimentos habitacionais a inclusão de outros requisitos que relacionados a situações de vulnerabilidade econômica e social locais.

Também são abordados no decreto metas, prioridades, tipo de benefício destinado às famílias, conforme localização e população, e as faixas de renda, bem como a periodicidade, a forma e os agentes responsáveis pela definição da remuneração devida aos agentes operadores e financeiros para atuação no programa Casa Verde e Amarela. Os detalhes, no entanto, não foram antecipados.

Segundo a Secretaria-Geral, o programa terá duas frentes de atuação. Uma buscará produção, aquisição ou requalificação, subsidiada ou financiada, de imóveis novos ou usados.

A outra tem como foco combater a inadequação habitacional através da urbanização de assentamentos precários, da melhoria habitacional rural e urbana e da regularização fundiária urbana.

De acordo com o governo, os imóveis poderão ser disponibilizados aos beneficiários sob a forma de cessão, de doação, de locação, de comodato, de arrendamento ou de venda, mediante financiamento ou não, em contrato subsidiado ou não, total ou parcialmente, conforme grupo de renda familiar.

Os Ministérios do Desenvolvimento Regional e da Economia ou os conselhos gestores dos fundos que constituem recursos do programa são responsáveis pelos critérios de elaboração e priorização de projetos, os procedimentos de seleção de beneficiários, os padrões edilícios e urbanísticos, as atribuições do poder público municipal e estadual, das entidades privadas, a distribuição regional dos recursos e as demais diretrizes e condições gerais para contratação e execução.

O Desenvolvimento Regional define também a remuneração devida aos agentes operadores e financeiros do programa.

A lei que institui o Casa Verde e Amarela foi sancionada por Bolsonaro na terça-feira (12).

Bolsonaro vetou o dispositivo que estendia ao Casa Verde e Amarela as regras do regime tributário aplicáveis às construtoras atualmente submetidas ao regramento do Minha Casa, Minha Vida, que dispõem sobre o recolhimento unificado de tributos equivalente a 4% da receita mensal auferida pelo contrato de construção.

O governo justificou que a proposição não apresenta estimativa de impacto orçamentário nem medidas compensatórias. Além disso, a medida não observa, segundo o Executivo, a legislação que estabelece que o prazo de vigência do benefício fiscal deve conter cláusula de, no máximo, cinco anos.

Com o Casa Verde e Amarela, o governo pretende retomar obras paradas das administrações anteriores e regularizar imóveis de famílias de baixa renda, além de aumentar a oferta e reduzir juros para financiamento imobiliário.

O objetivo do programa é reduzir o déficit habitacional no país, hoje estimado em 6 milhões de moradias, permitindo também investimentos privados e de fundos externos. A meta é atender quase dois milhões de famílias até 2024, com foco no Norte e no Nordeste.

A ideia é que nas duas regiões seja oferecida uma taxa de juros a partir de 4,25%. E um percentual a partir de 4,5% para o Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Ao lançar o Casa Verde e Amarela, o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), afirmou que o programa busca tratar de forma diferente regiões mais carentes e com índices de desenvolvimento humano mais baixos.

Na ocasião, ele também indicou que, no momento, o programa não deve contemplar novas famílias na faixa com maiores subsídios, que hoje beneficia pessoas com renda de até R$ 1.800. Os contratos já assinados no Minha Casa, Minha Vida, porém, serão concluídos, diz o governo.

O sistema de faixas do Minha Casa, Minha Vida foi alterado no Casa Verde e Amarela. O programa anterior tinha as faixas um (para famílias com renda de até R$ 1.800), um e meio (renda entre R$ 1.800 e R$ 2.600), dois (entre R$ 2.600 e R$ 4.000) e três (entre R$ 4.000 e R$ 7.000).

Agora, serão três grupos. O primeiro, com renda de até R$ 2.000, poderá acessas benefícios como receber imóvel subsidiado, acessar financiamento com juros reduzidos, fazer regularização fundiária e reformas no imóvel.

Os grupos dois (R$ 2.000 a R$ 4.000) e três (R$ 4.000 a R$ 7.000) terão acesso a financiamentos com taxas de juros um pouco mais altas do que o primeiro patamar, além da regularização fundiária. Os detalhes serão definidos em regulamentação posterior.

O novo programa tem como meta regularizar 2 milhões de moradias até 2024.

De acordo com o texto aprovado pelo Legislativo e agora sancionado por Bolsonaro, o governo pode alterar por decreto o valor máximo do imóvel financiado e as faixas de renda das famílias beneficiadas no Casa Verde e Amarela.

FolhaPress

Deixe seu comentário

Brasil tem média móvel de mil mortes por Covid por dia; média móvel de novos casos volta a bater recorde

14 Jan2021

Por Jbelmont às 20h40

País contabilizou total de 207.160 óbitos e 8.326.115 casos de Covid-19, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa. Média móvel de novos diagnósticos da doença passou de 55 mil pela primeira vez, ficando em 56.453.

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta quinta-feira (14).

O país registrou 1.151 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 207.160 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.000. A variação foi de +42% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de crescimento nos óbitos pela doença.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 8.326.115 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 68.656 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 56.453 novos diagnósticos por dia --voltando a bater o recorde desde o início da pandemia e pela primeira vez ficando acima da marca de 55 mil. Isso representa uma variação de +57% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de crescimento também nos diagnósticos.

Doze estados estão com alta nas mortes: PR, MG, RJ, SP, GO, MT, AM, AP, TO, CE, PE e SE.

Brasil, 14 de janeiro
Total de mortes: 207.160
Registro de mortes em 24 horas: 1.151
Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 1.000 (variação em 14 dias: +42%)
Total de casos confirmados: 8.326.115
Registro de casos confirmados em 24 horas: 68.656
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 56.453 por dia (variação em 14 dias: +57%)
(Antes do balanço das 20h, o consórcio divulgou um boletim parcial às 13h, com 206.188 mortes e 8.270.655 casos confirmados.)

Estados
Subindo (12 estados): PR, MG, RJ, SP, GO, MT, AM, AP, TO, CE, PE e SE
Em estabilidade (13 estados + DF): RS, SC, ES, DF, MS, PA, RO, RR, AL, BA, MA, PB, PI e RN
Em queda (1 estado): AC

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

G1

Deixe seu comentário

Secretaria de Saúde confirma que RN vai receber 10 pacientes com Covid-19 do Amazonas

14 Jan2021

Por Jbelmont às 19h47

Secretaria de Estado da Saúde Pública informa que pacientes serão internados no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), em Natal.
Por G1 RN



O Rio Grande do Norte vai receber 10 pacientes com Covid-19 transferidos da rede estadual de saúde do Amazonas, que vive situação de caos, com hospitais lotados e sem oxigênio para os infectados com o coronavírus. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) na tarde desta quinta-feira (14). Os pacientes ficarão internados no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), em Natal.

Os pacientes serão transferidos pelo Ministério da Saúde, Forças Armadas e governo do Amazonas.

"Ressalta-se que, levando em consideração o alerta epidemiológico de registros de casos de uma nova variante da Covid-19 no Amazonas, a equipe de Vigilância Epidemiológica da Sesap e o Laboratório Central de Saúde Pública do RN (Lacen) se organizam para execução de ações que conduzirão o processo de sequenciamento genético das amostras dos pacientes que tiverem coletado RT-PCR no estado de origem", diz a nota da Sesap.

Conta ainda que "as equipes irão estabelecer o fluxo em parceria com o Laboratório de Virologia da UFRN, que mantém articulação com a Fiocruz, para o sequenciamento dessas amostras e identificação da Cepa do vírus SARS-CoV-2".

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que administra o Hospital Universitário Onofre Lopes, informou que a unidade "estará de prontidão para receber 10 pacientes em enfermarias, na estrutura já existente no hospital, com precauções de contágio". Reforça ainda que, "quando ocorrer a transferência dos pacientes, a governança do HUOL se disponibilizará a transmitir à imprensa detalhes da sua efetiva participação".

Deixe seu comentário

CARNAVAL DE APODI É CANCELADO

14 Jan2021

Por Jbelmont às 12h40

A cidade de Apodi-RN é tradição na realização da festa momesca. Nesse ano, devido a pandemia a festa está cancelada. A suspensão da festa foi anunciada pelo gestor do município, na noite de ontem, quarta feira(13).

 

Do Blog de Erivan Morais

Até o presente momento, três cidades da região Oeste cancelaram festas momencas. Areia Breanca, Alexandria e Apodi. O outras cidades deverão também cancelares as festas de carnaval. O que não falta é motivo. 

.  

Deixe seu comentário

RN registra 1.315 novos casos de coronavírus; 08 óbitos nas últimas 24 horas e outros 05 após exames laboratoriais de dias anteriores

14 Jan2021

Por Jbelmont às 12h28

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta quinta-feira (14). Foram mais 1.315 casos confirmados, totalizando 126.865. Na quarta-feira (13) eram 125.550 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 3.138 no total. Foram 08 (oito) mortes ocorridas nas últimas 24 horas, (sendo 02 em Natal, 02 em Parnamirim, 01 em Senador Elói de Sousa, 01 em Caraúbas, 01 em Caicó e 01 em Mossoró). Óbitos em investigação são 524.

A Sesap também registrou 05 (cinco) óbitos ocorridos em dias ou semanas anteriores, após a confirmação de exames laboratoriais. Até quarta-feira (13), eram contabilizados 3.125 mortos.

Casos suspeitos somam 66.388 e descartados são 288.305. Recuperados são 88.210.

Deixe seu comentário

Banco do Brasil fechará agência em Mossoró

14 Jan2021

Por Jbelmont às 08h32

Assis Neto revelou qual agência será fechada no Foro de Moscow (Foto: reprodução/Blog do Barreto)
Dentro do plano de reordenamento do Banco do Brasil está previsto o fechamento de várias agências no país, uma delas será em Mossoró.

Segundo revelou o presidente do Sindicato dos Bancários de Mossoró, Assis Neto, em entrevista ao Foro de Moscow, a agência local que será fechada é a Santa Luzia, localizada no Hotel Villa Oeste.

São nove funcionários que serão deslocados para outras agências ou irão aderir ao Plano de Demissão Voluntária.

Outras duas agências serão fechadas no Rio Grande do Norte: uma em Natal e outra em Parnamirim.

Deixe seu comentário

No RN, 21 médicos morreram de Covid-19, afirma sindicato

14 Jan2021

Por Jbelmont às 08h10

Chegou a 21 o número de médicos mortos em decorrência do novo coronavírus no Rio Grande do Norte. A informação é do Sindicato dos Médicos do Estado (Sinmed RN). O mais recente óbito foi registrado nesta quarta-feira 13. De acordo com o Sinmed, a médica Maria José Bezerra de Lima Siqueira é a mais nova vítima da Covid-19 no Estado. Em nota, o sindicato lamentou a perda. A reportagem aguarda confirmação da idade da profissional.

Aposentada, Maria José atuou como médica de clínica geral em Parnamirim, município da Região Metropolitana de Natal. “O Sinmed RN se solidariza com o sofrimento de familiares e amigos e externa seus votos de paz e solidariedade. Que Deus conforte os seus corações”, destacou o Sinmed em nota.

No total, o Rio Grande do Norte chegou nesta quarta-feira a 3.124 mortes provocadas pelo novo coronavírus. Foram 9 óbitos confirmados nas últimas 24 horas, segundo a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Em relação ao número de casos, foram 211 novos diagnósticos de terça para quarta. Desde o início da pandemia, 125.549 se contaminaram com a Covid no Estado.

AGORA RN

Deixe seu comentário

Aposta do interior do Nordeste leva R$ 11,8 milhões da Mega-Sena

14 Jan2021

Por Jbelmont às 08h09

O prêmio de R$ 11.854.874,71 do concurso 2334 da Mega-Sena irá para uma aposta de Serrinha-BA que cravou as seis dezenas (04-13-20-22-25-60) sorteadas pela Caixa nesta quarta-feira (13) em São Paulo.

O sorteio também teve 66 apostas vencedoras na quina. Cada uma delas ganhará R$ 34.602,68. A quadra teve 4.609 apostas, que levarão R$ 707,86.

GRANDE PONTO

Deixe seu comentário

Escolas públicas se preparam para retorno das aulas presenciais em fevereiro no RN

14 Jan2021

Por Jbelmont às 08h02

Escolas estaduais voltam no dia 1º e as municipais estão previstas para o dia 2. Adaptações foram feitas e EPIs adquiridos para dar mais seguranças a estudantes profissionais.

A rede pública de educação está se preparando para o retorno das aulas presenciais no mês de fevereiro no Rio Grande do Norte. A escolas estaduais voltam no dia 1º de fevereiro, enquanto as municipais têm previsão para um dia depois, no dia 2.

As aulas foram suspensas em 17 de março por conta da pandemia do coronavírus, que naquele momento tinha seus primeiros casos registrados no estado.

Com o retorno próximo depois de 10 meses, algumas medidas estão sendo tomadas para dar mais segurança a alunos e profissionais.

Na rede estadual, o secretário de educação, Getúlio Marques, garantiu que as escolas estarão prontas na data prevista. "É uma garantia nossa essas escolas estarem preparadas, sim, no dia 1º de fevereiro", disse.

Segundo ele, materiais como equipamentos proteção individual (EPIs) começaram a ser adquiridos desde de dezembro. O que resta nesses próximos dias será fazer a adaptação das escolas.

"Uma parte dessas questões que são obrigatórias, tipo máscaras, equipamentos, EPIs, estão sendo comprados desde o final de dezembro", explicou.

"Nesses últimos dias nós vamos fazer as adaptações das escolas, colocar totens, a parte que a gente precisa de sinalização. Então, esse estudo está sendo preparado para que, no retorno, alunos e professores tenham segurança".
O titular explicou que secretaria realiza um monitoramento diário para entender as necessidades das escolas. Com 146 escolas da rede estadual, Natal representa a maior demanda desse trabalho.

"No interior e em Natal têm algumas escolas em que a estrutura não é tão boa quanto em outras que nós já conseguimos fazer reformas e adaptações. Mas, mesmo com essas dificuldades, nós vamos tentar e vamos chegar no dia 1º com todas essas questões, principalmente as de biossegurança, efetivamente complementadas dentro dessas escolas", disse.

Continuar lendo AQUI

Deixe seu comentário

Depois de 42 dias no hospital, Fernando Luiz vence Covid-19

13 Jan2021

Por Jbelmont às 21h36

Depois de 42 dias no hospital, Fernando Luiz vence Covid-19

O cantor potiguar Fernando Luiz recebeu alta do Hospital São Lucas em Natal nesta quarta-feira, 13. Ele venceu a Covid-19 e suas complicações mais graves em dias tensos de UTI.

Agora, recuperado e cheio de gratidão diz que está em casa “com tudo dando certo”.

Pronto para voltar a seu programa Talento Potiguar, seu show de talentos transmitido pela Band TV.

Por Laurita Arruda no Território Livre da TN

Do Blog : estavamos torcendo e pedindo a Deus pela sua saúde. Graças a Deus você venceu!

Deixe seu comentário

Mega-Sena, concurso 2.334: aposta da Bahia acerta as seis dezenas e ganha mais de R$ 11 milhões

13 Jan2021

Por Jbelmont às 21h28

Veja as dezenas sorteadas: 04 - 13 - 20 - 22 - 25 - 60. A Quina teve 66 apostas ganhadoras e cada uma leva mais de R$ 34 mil.

Uma aposta de Serrinha, na Bahia, acertou as seis dezenas do concurso 2.334 da Mega-Sena, sorteados nesta quarta-feira (13) e ganhou R$ 11.854.874,71.

Veja as dezenas: 04 - 13 - 20 - 22 - 25 - 60.

A Quina teve 66 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 34.602,68.
A Quadra teve 4.609 apostas ganhadoras e cada uma vai receber R$ 707,86.
Para o próximo concurso, no sábado (16), a estimativa de prêmio é de R$ 13 milhões para quem acertar as seis dezenas.

Deixe seu comentário

Brasil registra 1.283 mortes por Covid em 24 horas; total passa de 206 mil

13 Jan2021

Por Jbelmont às 20h22

País contabilizou total de 206.009 óbitos e 8.257.459 casos de Covid-19, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa.

Por G1

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta quarta-feira (13).

O país registrou 1.283 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 206.009 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 995. A variação foi de +41% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de crescimento nos óbitos pela doença.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 8.257.459 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 61.966 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 54.703 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +52% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de crescimento também nos diagnósticos.

Onze estados estão com alta nas mortes: PR, MG, RJ, SP, GO, AM, AP, TO, CE, PE e SE.

Após 5 dias seguidos sem qualquer estado apresentar queda de mortes, neta quarta o estado de Roraima registrou tendência que baixa em comparação com os números de 14 dias atrás.

Brasil, 13 de janeiro
Total de mortes: 206.009
Registro de mortes em 24 horas: 1.283
Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 995 (variação em 14 dias: +41%)
Total de casos confirmados: 8.257.459
Registro de casos confirmados em 24 horas: 61.966
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 54.703 por dia (variação em 14 dias: +52%)
(Antes do balanço das 20h, o consórcio divulgou um boletim parcial às 13h, com 204.980 mortes e 8.210.134 casos confirmados.)

Estados
Subindo (11 estados): PR, MG, RJ, SP, GO, AM, AP, TO, CE, PE e SE
Em estabilidade (14 estados + DF): RS, SC, ES, DF, MS, MT, AC, PA, RO, AL, BA, MA, PB, PI e RN
Em queda (1 estado): RR

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados

Deixe seu comentário

Fátima anuncia início do pagamento de folhas atrasadas da gestão anterior

13 Jan2021

Por Jbelmont às 12h55

Em anúncio nas redes sociais no fim da manhã desta quarta-feira(13), a governadora Fátima Bezerra(PT), informa que comunicou ao fórum de servidores sobre o início do pagamento das últimas folhas herdadas da gestão anterior. Leia discurso na íntegra abaixo:

“Meus amigos e minhas amigas, colegas servidoras e servidores públicos,

Conforme disse a vocês – e palavra é cumprida no nosso Governo – acabei de comunicar ao fórum de servidores sobre o início do pagamento das últimas folhas que herdamos da gestão anterior.

Diante das dificuldades, e com um passivo que bate na casa dos 900 milhões, preservamos os princípios da ISONOMIA e da SOLIDARIEDADE, já que contemplamos ativos e inativos em uma faixa salarial única e priorizamos os servidores com salários menores.

Nossa proposta beneficiará 54% dos servidores o que representa mais da metade do funcionalismo, que receberá a integralidade do 13º salário de 2018 no próximo dia 30 de janeiro.

Com os recursos que temos disponíveis, começaremos o pagamento para quem ganha até 3.500, líquido.

Os que ganham até 3.500 e que são da Segurança Pública receberão nesta sexta-feira, dia 15, juntamente com a integralidade do salário de janeiro, como já vem sendo feito.

Isso foi possível graças aos recursos oriundos do Super Refis, ou seja, são fruto de esforço do nosso Governo.

Uma força-tarefa admirável da Secretaria de Tributação e PGE, que proporcionou aos cofres do estado 90 milhões.

Queridos servidores,

Eu gostaria de chegar aqui e dizer: vamos quitar agora as folhas que herdamos da gestão anterior. Mas não é simples.

Catamos moedas todos os dias para juntar recursos e dar a vocês o que lhes é de direito.

Além do pagamento sagrado do salário de vocês, que venho honrando desde que assumi, dentro do mês, temos também o compromisso com o custeio das funções sociais básicas do estado.

E ainda mais uma pandemia no meio do caminho!

Sem falar no descontrole financeiro e orçamentário brutal que encontramos o RN!

Estamos iniciando agora o pagamento da terceira das quatro folhas que herdamos.

E reafirmo: não sossegaremos e, até o final do mês de janeiro, o Comitê de Negociação Permanente – que inclui Governo e representações de servidores – se reunirá novamente para definir novas datas para os que recebem acima de 3.500 reais.

Neste Governo, palavra se cumpre!

Fiquem com Deus”.

Deixe seu comentário

RN registra 211 novos casos de coronavírus; 05 óbitos nas últimas 24 horas, e outros 04 após confirmação de exames laboratoriais de dias anteriores

13 Jan2021

Por Jbelmont às 12h39

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta quarta-feira (13). Foram mais 211 casos confirmados, totalizando 125.549. Na terça-feira (12) eram 125.338 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 3.124 no total. Foram 05 (cinco) mortes ocorridas nas últimas 24 horas, (sendo 02 em Natal, 02 em Patú e 01 em Paraú). Óbitos em investigação são 523.

A Sesap também registrou 04 (quatro) óbitos ocorridos em dias ou semanas anteriores, após a confirmação de exames laboratoriais. Até terça-feira (12), eram contabilizados 3.115 mortos.

Vi BG

Deixe seu comentário

Taxa de ocupação de leitos críticos na rede pública para covid no RN nesta quarta-feira é de 65%; pacientes internados são 295

13 Jan2021

Por Jbelmont às 12h37

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 65%, registrada no fim da manhã desta quarta-feira (13). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 295.

Até o momento desta publicação são 84 leitos críticos (UTI) disponíveis e 156 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 142 disponíveis e 139 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região Metropolitana de Natal apresenta 62,4% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 65% e a Região Seridó 74,3%.

Deixe seu comentário

Puxado por EUA, mundo tem recorde de mortes por Covid

13 Jan2021

Por Jbelmont às 11h25

Foram 4.327 óbitos no país mais afetado pela pandemia e 17.186 em todo o planeta nas últimas 24 horas, aponta balanço da Universidade Johns Hopkins.

Por G1

Puxado pelos Estados Unidos, o mundo registrou na terça-feira (12) novo recorde de mortes pelo novo coronavírus, aponta balanço da Universidade Johns Hopkins.

Foram 4.327 óbitos no país mais afetado pela pandemia e 17.186 em todo o planeta. Os recordes anteriores eram de 4.195 mortes nos EUA (7 de janeiro) e 15 mil no mundo (30 de dezembro).

Foi o quarto recorde de vítimas da Covid-19 nos últimos oito dias nos EUA, que também confirmou mais de 215 mil novos casos (o recorde de 302 mil infectados foi registrado no dia 2).

Os EUA são o país mais afetado pela pandemia, com mais de 380 mil óbitos e 22,8 milhões de casos confirmados até o momento.

Na sequência vêm Brasil (204 mil mortes e 8,1 milhões de casos) e Índia (151 mil e 10,4 milhões, respectivamente).

O Brasil registrou uma média de 54 mil novos casos confirmados nos últimos 7 dias, o maior número desde o início da pandemia (veja mais abaixo).

Ao todo, são quase 2 milhões de mortes pelo novo coronavírus em todo o mundo e mais de 91 milhões de infectados.

Vacinação contra a Covid
Os Estados Unidos são o país que mais aplicou vacinas contra a Covid-19 no mundo (9,33 milhões de doses), segundo o Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford.

Em seguida vêm China (9 milhões), Reino Unido (2,84 milhões) e Israel (1,93 milhões). Ao todo, foram aplicadas quase 30 milhões de doses em todo o mundo, aponta o levantamento.

Proporcionalmente, Israel é o país que mais aplicou doses em relação à população (22,3%). Na sequência vêm Emirados Árabes Unidos (12,9%), Bahrein (5,7%) e Reino Unido (4,2%).

Recorde de casos no Brasil
Segundo país com mais mortes e terceiro em infectados, o Brasil registrou 1.109 óbitos e 61.660 casos confirmados nas últimas 24 horas, segundo o consórcio de veículos da imprensa.

Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias foi de 993, alta de 49% na comparação com a média de 14 dias atrás.

Deixe seu comentário

Paes recua e diz que vai revogar público em estádios

13 Jan2021

Por Jbelmont às 11h11

O prefeito Eduardo Paes voltou atrás e anunciou que vai revogar a presença do público nos estádios do Rio.

Resolução previa reabertura das arquibancadas, com limitação de público, mas prefeito admitiu horas depois que 'a medida é quase impossível de ser fiscalizada'.

O painel de Covid-19 registrava, na manhã desta quarta-feira (13), 15.664 mortos na capital, com 175 mil casos. Em todo o estado, eram quase 27 mil óbitos e 465 mil casos.

As mortes por Covid-19 no RJ estavam com tendência de alta (+115%), segundo o mesmo boletim.

Nesta quarta, 140 pacientes com suspeita ou confirmação da doença aguardavam transferência — 62 para uma vaga na UTI e 78 para enfermaria.

Deixe seu comentário

Perfil do Blogueiro

JBelmont
José J Belmont Natural de São José de Campestre RN Radialista, ex vereador de Mossoró e ex deputado estad…
Leia +