Morador do bairro Aeroporto relata onda de assaltos na região

JBelmont

31Out2017

Por Belmont às 20h05

 

O morador do bairro Aeroporto, Carlos Bandeira de Carvalho, utilizou a Tribuna Popular, na manhã dessa terça-feira (31) para pedir ajuda para resolver a onda de assaltos que os moradores do bairro estão enfrentando. “Várias motos foram tomadas de assalto nos últimos dias. Estamos sofrendo muito com a onda de violência. Precisamos que as autoridades competentes tomem providência.”, disse.

 

O vereador Genilson Alves (PMN) sugeriu que a Câmara forme uma comissão de vereadores para cobrar ações de policiamento na região. “Hoje toda Mossoró está sofrendo com a criminalidade. Gostaria que esta Casa formasse uma comissão para procurar o batalhão e pedir policiamento mais ostensivo para aquela região.”.

 

O vereador Ricardo de Dodoca (PROS) pediu atitude do Governo do Estado. “Mossoró está sofrendo muito com a onda de violência. O governador tem que aumentar o efetivo.”. Tony Cabelos (PSD) pediu concurso público para a Polícia Militar. “Os policiais têm boa vontade de trabalhar, mas faltam veículos, equipamentos, policiais. O estado precisa investir em segurança.”.

 

A Câmara Municipal de Mossoró realizou audiência pública, na última semana, para mostrar apoio à Polícia Civil que enfrenta dificuldades, como falta de material, falta de efetivo e atraso nos salários. Os vereadores estão unidos para cobrar providências ao Governo do Estado.

 

 

Vereador pede manutenção da estrutura da Praça da Convivência

Durante a sessão dessa terça-feira (31), o vereador Raério Araújo (PRB) pediu a manutenção e segurança na área da Praça da Convivência, localizada na avenida Rio Branco, em Mossoró. De acordo com o vereador, os banheiros estão quebrados, sujos, crianças consomem álcool na praça e não há segurança.

 

“A praça é o principal cartão postal de Mossoró hoje. É muito triste ver a situação em que o local se encontra. É preciso aumentar a segurança, reformar os banheiros e reforçar a limpeza. Também é preocupante a situação dos jovens que frequentam a praça. É preciso a presença do juizado de menores para fiscalizar a situação.”, pediu o vereador.

 

 

Alex Moacir pede apoio às reivindicações da Polícia Civil

Durante a sessão dessa terça-feira (31), o vereador Alex Moacir (PMDB) pediu apoio dos demais vereadores para reivindicar junto ao Governo do Estado as solicitações da Polícia Civil, realizadas durante audiência pública, na semana passada.

 

O vereador explicou que a Polícia Civil está fazendo um documento com os principais pontos que devem ser reivindicados para melhorar as condições de trabalho. “A Polícia Civil vai fazer um documento para assinarmos. Não é nada de outro mundo o que estão pedindo. Pedem apenas condições básicas de trabalho. Tenho certeza que podemos contar com todos os 21 vereadores da Câmara para cobrarmos essas reivindicações junto ao Governo do Estado.”, explicou Alex Moacir.

 

O vereador destacou, ainda, a importância do trabalho da Polícia Civil.  “É a polícia responsável por investigar os crimes cometidos, essencial para combater a criminalidade. Quando acontece um assassinato, um assalto, são eles que investigam.”.

 

 

Vereador pede ações para o combate às drogas em Mossoró

O vereador Rondinelli Carlos (PMN) pediu, durante a sessão dessa terça-feira (31), providencias para a situação dos usuários de droga em Mossoró. “Na calçada do Teatro Lauro Monte Filho encontram-se muitos usuários de droga. Isso é um problema social. Precisamos recuperar essas pessoas e precisamos de políticas públicas de prevenção.”, destacou o vereador.

 

O vereador pediu ainda providências para recuperar a estrutura do Teatro. “É um absurdo que o Teatro se encontre naquele estado. A diretora da Fundação José Augusto, Isaura Amélia, responsável por aquele equipamento, precisa tomar alguma atitude.”.

 

João Gentil comenta demolição do Hospital Duarte Filho

O vereador João Gentil (PV) comentou, durante a sessão dessa terça-feira (31), a demolição do Hospital Duarte Filho. Para o vereador, a demolição do hospital pode ser considerada uma grande perda para a cidade.

 

“Duarte Filho foi um senador e médico que, preocupado com a situação da saúde em Mossoró, se uniu com empresários para construir aquele hospital filantrópico. Demolir o hospital marca a história de nossa cidade. Não podemos perder nenhum hospital.”, declarou o vereador.

 

João Gentil questionou ainda a propriedade do local onde o Hospital Duarte Filho era situado.  “Muitos mossoroenses estão questionando se aquele patrimônio público está indo para uma instituição particular. Precisamos investigar essa situação.”. A vereadora Izabel Montenegro (PMDB) apoiou a fala do vereador “Não podemos deixar o patrimônio que é do povo de Mossoró passar para a iniciativa privada. Precisamos averiguar essa situação.” declarou.

 

 

 Maria das Malhas agradece ações da Prefeitura de Mossoró

A vereadora Maria das Malhas (PSD) agradeceu ações realizadas pela Prefeitura de Mossoró, durante a sessão dessa terça-feira (31). “Solicitamos a iluminação na rua Castelo Branco com a travessa Pedro Velho, no bairro Santo Antônio. Agradeço o pedido atendido.”, explicou.

 

A vereadora comentou também as ações promovidas pela prefeitura através do projeto Mossoró Mais Cidadã. “Estive no Bom Jesus e vi o projeto sendo realizado e a grande participação da comunidade. Projetos como esse, onde a população pode realizar serviços como exames e emissão de documentos, são muito importantes pra Mossoró.”.

 

Aline Couto cobra aumento no número de UTIs em Mossoró

A vereadora Aline Couto (PHS) pediu, durante a sessão dessa terça-feira (31), o aumento do número de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) nos hospitais de Mossoró. “Hoje em dia Mossoró possui 55 UTIs e sabemos que esse número não é suficiente para atender a nossa população. Vemos pessoas a míngua nos hospitais, esperando por leitos de UTI.”, disse Aline.

 

A vereadora solicitou a revisão da escala de médicos no Hospital Rafael Fernandes. “Faltam médicos e os pacientes estão sendo encaminhados para o Tarcísio Maia. Sabemos que o perfil do paciente atendido pelo Hospital Rafael Fernandes é diferente daquele atendido pelo Hospital Tarcísio Maia. Não podemos aceitar a diminuição nos atendimentos. O secretário estadual de saúde tem que rever essa escala médica.”.

Deixe seu comentário
Insira os caracteres conforme a imagem acima.