Andrea Neves, irmã do senador Aécio, é transferida para penitenciária em BH

18 Maio2017

Por Jbelmont às 18h33

Andrea, que é jornalista e principal assessora do senador do PSDB, é apontada como operadora do irmão nas investigações da Lava Jato; mandado foi cumprido após delações dos donos da JBS.

 

irmã e assessora do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Andrea Neves, chegou por volta das 14h30 desta quinta-feira (18), no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte. Ela foi presa por agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal nesta manhã no condomínio Retiro das Pedras, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

 

O primo do senador e de Andrea, Frederico Pacheco de Medeiros, também foi preso em casa, no condomínio Morro do Chapéu, em Nova Lima, na Grande BH. O assessor parlamentar e cunhado do senador Zeze Perrella (PMDB-MG), Mendherson Souza Lima, foi preso em Belo Horizonte durante o cumprimento de mandados da Operação Patmos, deflagrada pela Polícia Federal nesta quinta-feira após as delações do grupo empresarial JBS, dos irmãos Joesley e Welsey Batista.

 

Andrea chegou escoltada ao presídio feminino, que fica no bairro Horto, Região Leste da capital mineira. Antes, ela foi submetida a um exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), onde foi "recebida" por um grupo de manifestantes que gritavam "bandida".

 

De acordo com a Secretaria Estadual de Administração Prisional de Minas Gerais, Andrea ficará em uma ala separada do pavilhão principal, dado o tipo de crime do qual ela é suspeita, das condições de sua prisão e repercussão do caso. Esta decisão tem apoio na Lei de Execução Penal, segundo a secretaria

 

Andrea ficará abrigada em uma cela individual de 2,5 m x 3 m. O local dispõe de cama, vaso sanitário e chuveiro. Ainda de acordo com a Seap, ela vai estar submetida a todos os procedimentos do presídio, como quatro alimentações diárias, banho de sol, visitas e assistências médica e psicossocial.

 

A irmã de Aécio, que é jornalista e sua principal assessora, foi presa porque há suspeitas de que ela tenha pedido dinheiro ao empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, em nome do irmão. Ela é considerada operadora do senador nas investigações da Lava Jato.

 

O advogado Marcelo Leonardo informou que dois celulares e um computador foram apreendidos nesta manhã na casa de Andrea. A prisão preventiva foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Após a prisão, Andrea Neves foi levada para a sede da Polícia Federal em Belo Horizonte onde prestou depoimento. De acordo com Leonardo, ela foi orientada a permanecer em silêncio já que a defesa não teve acesso ao teor dos autos de investigação. “Ela esclarece que trata-se de uma mera relação privada entre pessoas físicas. Não há nenhuma relação envolvendo cargo, negócio ou função públicos”, disse o advogado.

 

O defensor ainda disse que vai analisar os autos e pedidos de investigação antes de tomar qualquer providência, mas acredita que a prisão possa ser revertida em alguma medida cautelar.

 

Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), chega escoltada ao IML, em Belo Horizonte (Foto: Raquel Freitas/G1)

 

Operação Patmos

 

A operação Patmos - batizada pela Polícia Federal em referência à ilha grega onde o apóstolo João teve visões do Apocalipse - foi deflagrada a partir da delação da JBS, revelada pelo jornal O Globo. Nela, Aécio Neves aparece pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista para pagar a defesa dele na Lava Jato. As informações foram confirmadas pela TV Globo.

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin autorizou o cumprimento de 41 mandados de busca e apreensão e oito de prisão preventiva em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Maranhão e Paraná, cumpridos pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.

Os pedidos de prisão e busca e apreensão foram feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com base na delações dos donos da JBS e em apurações da Polícia Federal. Os fatos que embasaram os pedidos ocorreram neste ano, em pleno curso das investigações da Operação Lava Jato.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, o objetivo da operação foi apreender documentos, livros contábeis e fiscais, arquivos eletrônicos, telefones, valores e objetos que podem se relacionar à investigação. A investigação apura os crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro, constitutição e participação de organização criminosa, dentre outros.

 

Em nota, a PGR disse que Rodrigo Janot considera que "o caso revela perplexidade, pois os fatos ocorreram apesar e durante as investigações de delitos graves praticados através de autênticas organizações criminosas enraizadas no poder público, envolvendo algumas das mais altas autoridades do país. 'Isso demonstra que o esperado efeito depurador e dissuasório das investigações e da atuação do Poder Judiciário lamentavelmente não vem ocorrendo e a espiral de condutas reprováveis continua em marcha nos mesmos termos e com a mesma ou maior intensidade e desfaçatez'”, disse.

 

G-1

Deixe seu comentário

Quadrilha invade Arez, explode caixa de banco e atira em delegacia

18 Maio2017

Por Jbelmont às 12h50

Crime aconteceu na madrugada desta quinta-feira (18) em Arez, a 60 quilômetros de Natal. Pelo menos 10 bandidos participaram da ação. Ninguém foi preso.

 

G1/Rn - Teto da agência do Bradesco desabou com a força da explosão (Foto: Marksuel Figueredo/Inter TV Cabugi)

 

Um caixa eletrônico da agência do Bradesco da cidade de Arez, distante 60 quilômetros de Natal, foi explodido na madrugada desta quinta-feira (18). Segundo a Polícia Militar, pelo menos dez homens participaram da ação. Ninguém foi preso.

 

Essa é a 33° unidade bancária atacada somente este ano no estado.

 

Além das quatro explosões ouvidas pelos moradores, a cidade foi acordada pelos barulhos de tiros. Enquanto parte do bando efetuava disparos contra a delegacia da cidade, onde também funciona a base da PM, outra se encarregava de atacar a agência. A ação foi registrada por volta das 3h. A agência ficou destruída com a força da explosão.

 

O teto do prédio desabou.

 

Todo o dinheiro que estava no caixa foi levado. Na fuga, os criminosos espalharam grampos de ferro pelas estradas que dão acesso à cidade. Pontiagudos, os grampos são usados para furar os pneus de carros. Assim, a polícia também teve dificuldade de partir em busca dos bandidos, que conseguiram escapar.

Deixe seu comentário

Fachin negou pedido de prisão e não levará caso de Aécio ao plenário; senador está afastado de mandato

18 Maio2017

Por Jbelmont às 12h48

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e não levará para o plenário a decisão sobre o assunto.

 

O plenário só avaliará o caso se o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor do pedido, decidir recorrer da decisão de Fachin.

 

O ministro mandou afastar o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), do mandato de senador.

 

G1

Deixe seu comentário

Delatores da JBS relataram às autoridades que receberam ameaças de morte

18 Maio2017

Por Jbelmont às 12h42

Donos do frigorífico moram em Nova York e não foram encontrados por equipe da TV Globo. Joesley Batista gravou presidente dando aval para comprar silêncio de Cunha, diz jornal.

 

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS, relataram às autoridades brasileiras que receberam ameaças de morte e foram autorizados a deixar o país, segundo apuração da TV Globo. Joesley e Wesley moram em Nova York, nos Estados Unidos.

 

Os dois disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação é do colunista do jornal "O Globo" Lauro Jardim.

 

Joesley Batista mantém um apartamento na Quinta Avenida, uma das mais importantes de Nova York e não atendeu a nenhuma das solicitações de entrevista. Segundo o porteiro do prédio, o dono da JBS e a mulher dele teriam deixado o local com malas.

 

Na delação, Joesley afirmou ter gravado o presidente Michel Temer dando aval para que o empresário continuasse pagando uma "mesada" ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que ele se mantivesse em silêncio após ser preso na Lava Jato. A gravação, segundo o jornal, foi feita em março deste ano.

 

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência afirmou que Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar."

 

O Supremo Tribunal Federal não confirmou nem negou se a delação da JBS já foi homologada por Edson Fachin. O STF afirmou que não vai se pronunciar sobre o caso nesta quarta-feira.

 
Deixe seu comentário

Planalto é avisado que base aliada quer renúncia de Temer

18 Maio2017

Por Jbelmont às 09h30

Articuladores políticos do governo foram avisados no fim da noite desta quarta-feira (17) que vários grupos de parlamentares que integram o núcleo duro da base aliada querem a renúncia do presidente Michel Temer.



Segundo o jornal "O Globo", o dono da JBS, Joesley Batista, entregou gravação ao Ministério Público com uma conversa entre ele e Temer na qual eles discutiram a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).



A Presidência confirmou a reunião, mas negou a tentativa de impedir a delação.

 

Em uma reunião com conselheiros políticos, na noite desta quarta, o presidente já disse que não tem disposição em renunciar. Além disso, segundo auxiliares, o presidente se defendeu e ressaltou que, em nenhum momento, falou sobre o silêncio de Cunha.



Várias reuniões aconteceram dentro e fora da Câmara durante a noite. Segundo relatos feitos ao Blog por parlamentares da base, o clima é de velório.



O Planalto foi avisado que, se Temer não der sinalização rápida de solução para a crise política, através da renúncia, haverá forte movimento nesse sentido pelos próprios aliados, o que deixaria a situação do presidente insustentável.



Já há parlamentares que avaliam que, se Temer não tomar essa posição, será atropelado e perderá qualquer tipo de influência sobre o processo de sucessão.



Na avaliação de deputados da base, só o fato de Temer ter recebido Joesley Batista reservadamente no Palácio do Jaburu mostra que houve movimento desesperado do presidente, que sofria chantagem explícita de Cunha, inclusive através de perguntas encaminhadas à Justiça Federal.



Entendao que acontece se Temer renunciar ou sofrer impeachment



Se Temer não optar pela saída mais rápida, a renúncia, ele poderia, dizem aliados, sofrer um processo de impeachment ou ter o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitora, que julgará, no mês que vem, a ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer.



"A renúncia do presidente passou a ser um imperativo para não agravar ainda mais a crise. O governo Temer acabou hoje", disse ao Blog o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira. O partido comanda o Ministério de Minas e Energia.



O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), também defende a renúncia de Temer. O partido chefia o Ministério da Educação. 



E até deputados do PPS já cobram até a saída do partido do govenro. Atualmente, o PPS tem dois ministros : Roberto Freire (Cultura) e Raul Jungmann (Defesa).

Deixe seu comentário

“Se a JBS delatar, será o fim da República”, diz Eduardo Cunha

18 Maio2017

Por Jbelmont às 09h15

O ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ) se mostrou ‘apreensivo’ esta semana com a possibilidade de vazamento do teor das delações dos executivos do Grupo JBS. Em conversa com interlocutores, ele afirmou que “se a JBS delatar, será o fim da República”.

 

Condenado a 15 anos e quatro meses de prisão na Operação Lava Jato, o peemedebista está recolhido no Complexo Médico Penal de Pinhais, nos arredores de Curitiba, desde outubro de 2016, por ordem do juiz federal Sérgio Moro.

 

Cunha também comentou a interlocutores que as delações da empreiteira Odebrecht seriam ‘pequenas causas’ se comparadas ao teor das revelações dos controladores do Grupo JBS.

 

O ex-parlamentar não comentou se estaria envolvido em esquemas de corrupção com os novos delatores.

 

ESTADÃO

Deixe seu comentário

Procurador do MPF foi preso por “operar para JBS”

18 Maio2017

Por Jbelmont às 08h59

O Antagonista apurou que a Polícia Federal prendeu o procurador Angelo Goulart, procurador da força-tarefa das operações Greenfield, Sépsis e Cui Bono.

 

Ele foi nomeado para o grupo em março, por meio de portaria do PGR. Mas começou a operar para a JBS antes disso. Foi pago para se infiltrar e espionar os trabalhos de investigação.

 

É um escândalo!

Deixe seu comentário

Irmã do senador Aécio Neves é presa pela Polícia Federal

18 Maio2017

Por Jbelmont às 08h54


Aécio Neves (PSDB) sorri ao lado da irmã, Andréa Neves, em foto de quando ele era governador de MG (Foto: Agência MG/Arquivo)

 

A operação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal em endereços ligados a Aécio Neves (PSDB-MG), na manhã desta quinta-feira (18). Segundo a PF, por volta das 8h30 foi cumprido um mandado de prisão contra a irmã do senador, Andrea Neves.

 

Ela foi localizada em um endereço na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Um chaveiro foi chamado para os agentes cumprirem o mandado de busca e apreensão no apartamento de Andréa em Copacabana, na Zona Sul.

 

Operação no Rio

 

A operação no Rio começou por volta das 5h, com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). Também foram feitas buscas nos apartamentos de Aécio e de Altair Alves Pinto, conhecido por ser braço direito do deputado Eduardo Cunha, que está preso.

 

Por volta das 6h15, pelo menos cinco carros descaracterizados da Polícia Federal chegaram à chapelaria do Congresso, em Brasília, que é a principal entrada e a mais utilizada pelos parlamentares. No Congresso, as buscas são feitas nos gabinetes de Aécio, do também senador Zeze Perrella (PMDB-MG) e do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

 

Afastamento

Também estão sendo feitas buscas em endereços ligados a Aécio em Belo Horizonte e em Brasília, e o STF determinou o afastamento de Aécio e de Rocha Loures dos mandatos.

 

O procurador da República Ângelo Goulart Villela foi preso e há mandado de prisão contra o advogado Willer Tomaz, que é ligado a Eduardo Cunha. A PF também faz buscas no Tribunal Superior Eleitoral, onde atua o procurador da República preso.

 

O G1 tentou ligar para uma assessora de Aécio Neves, mas o telefone estava desligado. Também não conseguimos contato com os outros citados na reportagem.

 

Delação da JBS

A operação teve início após a delação do dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, que entregou à Procuradoria-Geral da República uma gravação do senador Aécio Neves pedindo a ele R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato. A informação foi divulgada pelo jornal “O Globo” na quarta-feira (17)

 

A entrega do dinheiro foi feita a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, que foi diretor da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014.

 

Em nota, a assessoria de imprensa de Aécio Neves afirmou que o senador “está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos”.

 

“No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários”, diz o texto

 

Ainda segundo a delação de Joesley, também foi feita uma gravação onde o presidente Michel Temer dá aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato.

G1

Deixe seu comentário

Temer diz que não renuncia e quer ver a fita da sua conversa com Joesley

18 Maio2017

Por Jbelmont às 08h50

 

"Ir à luta", esta é a palavra de ordem transmitada agora por um dos ministros presentes à reunião que acabou há pouco  no gabinete do presidente Temer. " Renúncia, nem pensar", acrescentou.

"O presidente quer ver a fita da sua conversa com Joesley", insistiu o ministro. Temer considerou um absurdo um presidente da República ser gravado. É a segunda vez que manifesta essa estraheza. A primeira foi quando foi gravado pelo seu então ministro da Cultura. 

A ordem interna é resistir e transmitir clima de normalidade.

O ministro repetiu várias vezes a frase: "O presidente quer ver a fita".

Deixe seu comentário

Vejam os políticos potiguares que receberam recursos da JBS em 2014

18 Maio2017

Por Jbelmont às 08h43

A JBS foi a maior doadora de todas as campanhas eleitorais no Brasil em 2014. No RN ela também foi fundamental e somando todas as doações, também foi a principal doadora.

 

Vejam quanto a JBS doou para cada candidatura nas eleições de 2014 no estado.

 

Henrique Alves do PMDB declarou gastos em 2014 de R$ 26,1 milhões, desses R$ 2,75 milhões vieram dos cofres da empresa dos irmãos Batista.

 

Robinson Faria do PSD declarou gastos em 2014 de R$ 12,9 milhões, desses R$ 7,7 milhões vieram dos cofres da empresa dos irmãos Batista.

 

Fátima Bezerra do PT declarou gastos em 2014 de R$ 3,4 milhões, desses R$ 1,165 milhão vieram dos cofres da empresa dos irmãos Batista.

 

O Deputado Federal Fábio Faria do PSD recebeu R$ 1,1 milhão, o Deputado Federal Beto Rosado do PP recebeu R$ 400 mil, Felipe Maia do DEM recebeu R$ 85 mil da JBS e Antônio Jácome na época no PMN recebeu R$ 70 mil.

 

A Deputada Estadual Larissa Rosado do PSB foi quem recebeu mais da empresa para a eleição de Deputado Estadual, ela recebeu R$ 200 mil, seguida do Deputado Estadual Fernando Mineiro do PT, que recebeu R$ 165 mil, o Deputado José Adécio do DEM recebeu R$ 100 mil, mesmo valor dos Deputado Estadual Kelps Lima do SD e Nelter Queiroz do PMDB com R$ 100 mil. Os Deputados Souza Neto do PHS recebeu R$ 50 mil e o Deputado Jacó Jácome na época no PMN recebeu R$ 30 mil.

 

Todas as doações da JBS aos candidatos em 2014 foram feitas ou através dos diretórios nacionais dos partidos de cada um, dos diretórios estaduais ou em doações diretas.

 

Todas as contas dos candidatos que receberam recursos da empresa no RN, foram aprovadas pelo TRE.

 

RESUMO:

 

14 políticos potiguares receberam recursos diretamente ou indiretamente através de diretórios da JBS em 2014.

 

HENRIQUE ALVES – R$ 2,75 milhões

ROBINSON FARIA – R$ 7,7 milhões

FÁTIMA BEZERRA – R$ 1,165 milhão

FÁBIO FARIA – R$ 1,1 milhão

BETO ROSADO – R$ 400 mil

FELIPE MAIA – R$ 85 MIL

ANTÔNIO JÁCOME – R$ 70 MIL

LARISSA ROSADO – R$ 200 MIL

FERNANDO MINEIRO – R$ 165 MIL

JOSÉ ADÉCIO – R$ 100 MIL

KELPS LIMA – R$ 100 MIL

NELTER QUEIROZ – R$ 100 MIL

SOUZA NETO – R$ 50 MIL

JACÓ JÁCOME – R$ 30 MIL

BG

Deixe seu comentário

Fachin manda afastar Aécio do mandato de senador e envia ao plenário do STF pedido de prisão

18 Maio2017

Por Jbelmont às 08h39

Relator da Lava Jato no STF também ordenou afastamento do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) da Câmara. PF cumpre nesta quinta (18) mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Aécio.

 

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), mandou afastar o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), do mandato de senador. O magistrado, no entanto, negou o pedido apresentado da Procuradoria Geral da República (PGR) para prender o parlamentar tucano.

No despacho, conforme apurou a TV Globo, Fachin decidiu submeter ao plenário do Supremo o pedido de prisão de Aécio solicitado pela PGR.

Endereços ligados ao parlamentar tucano também são alvo de mandados de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira (18) no Rio de Janeiro e em Brasília.

Apartamento do senador Aécio Neves é alvo de busca e apreensão durante operação da Lava Jato em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro (Foto: Alessandro Buzas/Futura Press/Estadão Conteúdo)
O relator da Lava Jato determinou ainda que o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) seja afastado da Câmara.

Reportagem publicada nesta quarta (17) no site do jornal "O Globo" revelou que o dono do frigorífico JBS Joesley Batista entregou à Procuradoria Geral da República (PGR) uma gravação na qual Aécio pede ao empresário R$ 2 milhões.

No áudio gravado por Joesley, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato. O senador tucano é alvo de seis inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) relacionados à Lava Jato.

 

O G1 ainda não conseguiu contato nesta quinta-feira com a assessoria de Aécio Neves. Na noite desta quarta, a assessoria de imprensa do parlamentar mineiro afirmou que ele "está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos".
O Senado informou à TV Globo que, até o momento, ainda não recebeu oficialmente o mandado do ministro do Supremo que mandar afastar Aécio do parlamento.

Além de afastar o senador do PSDB, Fachin expediu um um mandado de prisão contra a irmã e assessora de Aécio, Andréa Neves. Segundo a TV Globo apurou, um procurador da República foi preso e há mandados contra pessoas ligadas ao deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

No Rio, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três endereços: os apartamentos de Aécio e da irmã dele e o imóvel de Altair Alves Pinto, conhecido por ser braço direito de Cunha.

O procurador da República Ângelo Goulart Villela, que atua no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi preso na manhã desta quinta pela Polícia Federal. Agentes da PF cumpriram mandados de busca e apreensão na sede da Corte eleitoral, em Brasília.
Fachin também expediu mandado de prisão contra o advogado Willer Tomaz, que é ligado a Eduardo Cunha.

Deixe seu comentário

Acumulou: Ninguém acerta resultado do concurso 1931 e prêmio sobe para R$ 30 milhões

17 Maio2017

Por Jbelmont às 21h54

enhum apostador acertou as dezenas do concurso 1931 da Mega-Sena, realizado nesta quarta-feira (17/05) em Pontes e Lacerda (MT).Com isso, a estimativa de prêmio para o próximo sorteio (20) sobe para R$ 30 milhões.

 

As dezenas sorteadas foram: 02-08-09-15-22-34

 

 

A  quina teve 131 acertadores, que vão receber cada um R$ 19.252,27. Já a quadra teve 8.918 acertadores, que levarão R$ 404,00 cada.

 

A QUINA SAIU PARA DOIS SORTUDOS CADA UM VAI LEVAR R$ 7.281.351,12 

CONFIRA  -  20 22 25 52 67
Deixe seu comentário

Temer esteve com empresário, mas 'jamais' tentou evitar delação, diz Planalto

17 Maio2017

Por Jbelmont às 21h48

Segundo jornal 'O Globo', dono da empresa JBS, Joesley Batista, gravou conversa com presidente na qual foi discutida a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

 

O Palácio do Planalto divulgou na noite desta quarta-feira (17) uma nota na qual informou que o presidente Michel Temer se reuniu com o empresário Joesley Batista, dono da JBS, mas "jamais" tentou evitar a delação do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

 

A nota foi divulgada após reportagem publicada no site do jornal "O Globo" informar que Joesley Batista entregou ao Ministério Público Federal gravação de conversa dele com Temer na qual foi discutida a compra do silêncio de Eduardo Cunha.

 

Antes de a assessoria de Temer divulgar a nota, o presidente se reuniu com ministros, entre os quais Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), e assessores, como o secretário de Comunicação Social, Márcio Freitas, e o porta-voz, Alexandre Parola.

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o líder do governo no Senado Romero Jucá (PMDB-RR), também estiveram presentes ao encontro.

 

Íntegra

 

NOTA À IMPRENSA

O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

 

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

 

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.

Deixe seu comentário

Dono da JBS grava aval de Temer para compra de silêncio de Cunha

17 Maio2017

Por Jbelmont às 20h52

POR O GLOBO / FOTO AGÊNCIA O O GLOBO

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação.

 

É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

 

Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

 

Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

 

Joesley relatou também que Guido Mantega era o seu contato com o PT. Era com o ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma Rousseff que o dinheiro de propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados. Mantega também operava os interesses da JBS no BNDES.

 

Joesley revelou também que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão, valor referente a um saldo de propina que o peemedebista tinha com ele. Disse ainda que devia R$ 20 milhões pela tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.

 

Pela primeira vez na Lava-Jato foram feitas “ações controladas”, num total de sete. Ou seja, um meio de obtenção de prova em flagrante, mas em que a ação da polícia é adiada para o momento mais oportuno para a investigação. Significa que os diálogos e as entregas de malas (ou mochilas) com dinheiro foram filmadas pela PF. As cédulas tinham seus números de série informados aos procuradores. Como se fosse pouco, as malas ou mochilas estavam com chips para que se pudesse rastrear o caminho dos reais. Nessas ações controladas foram distribuídos cerca de R$ 3 milhões em propinas carimbadas durante todo o mês de abril.

 

Se a delação da Odebrecht foi negociada durante dez meses e a da OAS se arrasta por mais de um ano, a da JBS foi feita em tempo recorde. No final de março, se iniciaram as conversas. Os depoimentos começaram em abril e na primeira semana de maio já haviam terminado. As tratativas foram feitas pelo diretor jurídico da JBS, Francisco Assis e Silva. Num caso único, aliás, Assis e Silva acabou virando também delator. Nunca antes na história das colaborações um negociador virara delator.

 

A velocidade supersônica para que a PGR tenha topado a delação tem uma explicação cristalina. O que a turma da JBS (Joesley sobretudo) tinha nas mãos era algo nunca visto pelos procuradores: conversas comprometedoras gravadas pelo próprio Joesley com Temer e Aécio — além de todo um histórico de propinas distribuídas a políticos nos últimos dez anos. Em duas oportunidades em março, o dono da JBS conversou com o presidente e com o senador tucano levando um gravador escondido — arma que já se revelara certeira sob o bolso do paletó de Sérgio Machado, delator que inaugurou a leva de áudios comprometedores. Ressalte-se que essas conversas, delicadas em qualquer época, ocorreram no período mais agudo da Lava-Jato. Nem que fosse por medo, é de se perguntar: como alguém ainda tinha coragem de tratar desses assuntos de forma tão desabrida?

 

Para que as conversas não vazassem, a PGR adotou um procedimento inusual. Joesley, por exemplo, entrava na garagem da sede da procuradoria dirigindo o próprio carro e subia para a sala de depoimentos sem ser identificado. Assim como os outros delatores.

 

Ao mesmo tempo em que delatava no Brasil, a JBS mandatou o escritório de advocacia Trench, Rossi e Watanabe para tentar um acordo de leniência com o Departamento de Justiça dos EUA (DoJ). Fechá-lo é fundamental para o futuro do grupo dos irmãos Batista. A JBS tem 56 fábricas nos EUA, onde lidera o mercado de suínos, frangos e o de bovinos. Precisa também fazer um IPO (abertura de capital) da JBS Foods na Bolsa de Nova York.

 

Pelo que foi homologado por Fachin, os sete delatores não serão presos e nem usarão tornozeleiras eletrônicas. Será paga uma multa de R$ 225 milhões para livrá-los das operações Greenfield e Lava-Jato que investigam a JBS há dois anos. Essa conta pode aumentar quando (e se) a leniência com o DoJ for assinada. (Colaborou Guilherme Amado)

Deixe seu comentário

Alex Moacir comenta aumento de homicídios no RN

17 Maio2017

Por Jbelmont às 19h21

 

O vereador Alex Moacir (PMDB) comentou o aumento do número de homicídios no Rio Grande do Norte, na sessão desta quarta-feira (17/05). Segundo o parlamentar, o estado registrou, este ano, um aumento de 36% no número de assassinatos em relação aos números de 2016.

 

Para Alex Moacir, muitos querem transferir a responsabilidade da segurança para os municípios, quando a responsabilidade é do estado. “A culpa não é dos 167 municípios do RN. A culpa é do Governo do Estado, que não equipa a polícia. O Governo já está no quinto secretário de segurança. A cada seis ou sete meses, muda a cúpula de segurança, que é formada por ótimos profissionais, mas que não têm as condições necessárias para trabalhar.”, declarou.

 

O edil também falou sobre o projeto Ronda Cidadã em Mossoró. “O Ronda Cidadã implantado na cidade não teve acréscimo de nenhum policial. Apenas colocaram os adesivos nos carros. Não sentimos a redução da violência na nossa cidade. Devemos pressionar o Estado para que eles melhorem a segurança no RN.”, ressaltou.

 

Previdência

 

Alex Moacir cobrou, novamente, união dos vereadores para cobrar aos deputados federais que não aprovem a reforma da previdência. “Mais uma vez, vamos nos unir e pressionar os deputados para que não aprovem a reforma da previdência. Eu estou fazendo isso, estou pedindo aos deputados federais para votarem contra a reforma desse governo ilegítimo.”, reforçou o vereador.

Deixe seu comentário

Governo paga R$ 4 mil a servidores que recebem acima de R$ 4 mil

17 Maio2017

Por Jbelmont às 15h04

O Governo do RN segue o pagamento do funcionalismo nesta sexta-feira (19), quando deposita uma parcela de R$ 4 mil a todos os 21.698 servidores ativos, aposentados e pensionistas que recebem acima de R$ 4 mil. A soma do montante chega a R$ 88,7 milhões.

 

O complemento dos salários deste grupo será pago em breve, sem distinção entre ativos, inativos e pensionistas, a partir da disponibilidade de recursos.

 

É importante ressaltar que desde o dia 12 de maio, 80% dos servidores já receberam integralmente seus vencimentos.

Deixe seu comentário

QUARTA-FEIRA COMEÇOU VIOLENTA EM MOSSORÓ E TERMINOU VIOLENTA DOIS FERIDOS E TRÊS MORTOS

17 Maio2017

Por Jbelmont às 14h40

A primeira tentativa de homicídio aconteceu por volta das 04h50min na região do Santo Antônio zona Norte da cidade, onde a pessoa de Zilmark Pereira da Silva de 33 anos foi baleado e socorrido por terceiros para UPA do bairro Santo Antônio 


O segundo atentado aconteceu por volta das 07h20min, na Rua Marinho Dantas no bairro Belo Horizonte. A vítima um adolescente de 15 anos identificado como Fabrício Renan Lopes de Souza.

Ele foi alvejado com dois tiros na calçada de sua casa e socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do BH e depois transferido pelo Samu para o Hospital Tarcísio Maia.

 

A terceira ocorrência policial foi a pouco tempo enfrente ao bar da Inês, no início desta tarde, mais uma morte violenta a de número 99 neste ano de 2017.  A central de Operações da Polícia Militar, registrou mais um crime de homicídio por disparos de arma de fogo em Mossoró. A vítima foi identificada apenas por Robenilson o mesmo era Mototaxista, segundo informações o crime aconteceu no Bairro Macarão "Quixabeirinha"

 

 

 

Outra morte é registrada a de número 100

 

Um suspeito identificada apenas por Cupim teria reagido a uma abordagem da Polícia Civil no Bairro Três Vintens em Mossoró.

Everton Fernandes da Silva, 18 anos, morto em confronto com a policia Civil no Loteamento Três Vinténs é a 100ª Morte violenta em Mossoró em 2017 - Foto do Câmera

 

Popular é morto atiros no bairro Boa Vista em Mossoró


Mateus Alberto de Araújo Silva, de 32 anos foi a 101ª Morte violenta em Mossoró em 2017

 

Mateus Alberto de Araújo Silva, 32 anos de idade, natural de Antonio Martins, foi surpreendido e morto na Rua Paulo de Albuquerque no bairro Boa Vista no início da noite de hoje, 17 de maio.

 

Segundo informações, ele morava no Abolição IV, mas costumava frequente um ponto de jogo na rua. Hoje quando ele deixou o ponto, foi seguido por dois elementos. Ele percebeu que estava sendo seguido e quando tentou se proteger dentro de uma lanchonete, foi alvejado e caiu sem vida no meio da porta de acesso do estabelecimento

Deixe seu comentário

PF deflagra operação para apurar fraudes em benefícios previdenciários

17 Maio2017

Por Jbelmont às 07h58

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (17/5), na capital potiguar, a OPERAÇÃO ANJO MAU, que visa obter provas da existência de uma organização criminosa suspeita de fraudar vínculos trabalhistas, bem como, apurar a suposta participação de servidores do INSS, os quais teriam atribuído à terceiros, a falsa condição de “segurado”, com a consequente obtenção de benefícios previdenciários fraudulentos.


Cerca de 20 policiais estão cumprindo quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal/RN em endereços residenciais e na Agência da Previdência Social, bairro de Nazaré.
A investigação que resultou nesta operação foi fruto de um trabalho em parceria realizado pela Polícia Federal, Ministério Público Federal e a Representação da Inteligência Previdenciária – REINP.
Não haverá entrevista coletiva.


(*) O batismo da operação faz referência ao significado (acrescido de adjetivo) do prenome de origem grega de um dos implicados na trama criminosa.


PF

Deixe seu comentário

Garibaldi e Walter Alves levam prefeitos para audiência com Ministro do Turismo

17 Maio2017

Por Jbelmont às 06h23

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, recebeu o senador Garibaldi Filho e o deputado federal Walter Alves, acompanhados de uma delegação de prefeitos do Rio Grande do Norte. Na audiência, foi discutida a possibilidade de o Ministério firmar convênios de infraestrutura turística com os municípios.

 

Segundo o senador Garibaldi Filho, os prefeitos querem a parceria do governo federal para a construção de praças, pórticos, calçadões e urbanização de locais turísticos, como lagoas.

 

Participaram da audiência com o ministro os prefeitos Alan Silveira, de Apodi; Claudio Marques (Boba), de Coronel Ezequiel; Fábio Rodrigues, de Galinhos; José Araújo (Kêka), de São Bento do Trairi; Thales Fernandes, de Major Sales; e Mariana Fernandes, de Luís Gomes.

 

Deixe seu comentário

Chacina na Serra do Mel com seis pessoas mortas na Vila Pará

16 Maio2017

Por Jbelmont às 21h56

 

Segundo informações da polícia, pistoleiros invadiram a casa quebrando as portas dos fundos e balearam as setes pessoas que estavam na residência. As vitima morreram no local.

 

Vítimas da chacina:

 

 

 

Anderson Damião Lopes de 19 anos de idade, sua esposa Edileusa ou Milena, tambem de 19 anos, recem chegados do estado de São Paulo, o agricultor Orlando, primo de Anderson, Felipe, que é natural de Natal, recém-chegado a Serra do Mel, Diogo e Luiz, que segundo informações, são da cidade de Major Sales.

 

Um adolescente baleado, se fingiu de morto e foi socorrido para o Hospital do município de Serra do Mel e depois transferido para o Tarcisio Maia em Mossoró.

 

O principal alvo da chacina, saiu ileso. Segundo informações, ele estava no local com as outras pessoas e teria saído numa motocicleta que pediu emprestada a uma das vítimas. O rapaz retornou mesmo na hora da invasão a residência pelos criminosos. Ele abandonou a motocicleta, que havia tomado emprestado momentos antes e fugiu a pé.

 

Ele é filho de um morador da vila e segundo registro, é responsável por vários arrastões a residências e assaltos na região. A polícia não sabe ainda qual seria a acusação ou a participação dos mortos, num possível esquema criminoso.

 

Segundo o perito criminal Eduardo Alexandre, os criminosos utilizaram armas do tipo escopeta calibre 12, pistola e possivelmente revolver.

 

Um forte esquema de segurança foi montado pelo Delegado e toda equipe da Policia Civil de Plantão com o apoio do comandante do 12º Batalhão em Mossoró, para os procedimentos no local realizados pelos Peritos Eduardo Alexandre e Renildo Marcelino. As vítimas não portavam documentos de identificação.

 

Do Câmera

 

Violência desenfreada

 

A violência segue desenfreada e batendo recordes negativos no Rio Grande do Norte. O estado alcançou a marca de 900 homicídios registrados somente este ano. A média é de 6,7 assassinatos por dia. Os dados são do Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO) – instituto que contabiliza e analisa os crimes contra a vida no RN.

Deixe seu comentário

Sandra Rosado garante que vai provar inocência

16 Maio2017

Por Jbelmont às 20h12

 

Em discurso na Câmara Municipal de Mossoró, nesta terça-feira, a vereadora Sandra Rosado (PSB) reafirmou não ter praticado irregularidades a ela atribuídas em recente decisão da 8ª Vara Federal de Mossoró, a respeito de utilização de recursos públicos pela Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e à Infância de Mossoró (Apamim).

 

“Provarei minha inocência na instância superior, porque é uma decisão judicial sem provas e fora da realidade, fundada no interesse político de chancelar a malfadada intervenção na Apamim e que, para tanto, necessita de um bode expiatório”, disse, em pronunciamento na tribuna do plenário.

 

Equívoco

 

A vereadora esclareceu não ter apresentado a emenda parlamentar, a qual baseia a decisão judicial. “A emenda a que se refere o juiz teria sido liberada em convênio celebrado aos 31 de dezembro de 2003. Eis aí o maior erro da decisão de primeiro grau, pelo simples fato de que a iniciativa jamais poderia ser atribuída a mim, que cheguei à Câmara dos Deputados em fevereiro daquele ano”, explica.

 

Disse que quem entende o mínimo do funcionamento de uma casa legislativa sabe que senadores, deputados federais, deputados estaduais e vereadores só podem propor emendas para o exercício orçamentário do ano seguinte.

 

Acrescentou que não trabalhou na Apamim, nunca interferiu na administração nem tirou benefício econômico da entidade. “Nunca agi em relação à Apamim, a não ser em seu auxílio, quando pediram, por compreender a magnitude do papel social da maternidade onde nasceram os meus quatro filhos”, frisou.

 

Integridade

 

Sandra lembrou que nos 12 anos que exerceu o mandato de deputada federal, apresentei dezenas de emendas ao Orçamento Geral da União, que, levando-se em consideração a cota anual de R$ 15 milhões reservada ao parlamentar, alcançaram cerca de R$ 180 milhões, para municípios de todas as regiões do Estado.

 

“Se pretendia me beneficiar de emendas, por que apenas uma para a Apamim entre dezenas? Por que somente R$ 719 mil no universo de R$ 180 milhões? Por que eu, filha de Vingt Rosado, sujaria minhas mãos e desonraria a memória de meu pai por R$ 3 mil, se nem milhões me desviariam do bom caminho?”, referindo-de ao valor pelo qual foi condenada.

 

Lembrou ter trabalhado no Congresso Nacional entre 2003 e 2014 e, mesmo diante da enxurrada de delações premiadas, verdadeiras e falsas, o nome dela jamais foi associado a escândalos de corrupção.

 

“Trago as mãos limpas e asseguro: jamais recebi sequer propostas indecentes, porque todos me conhecem e ninguém teria a petulância de me oferecer vantagem indevida. Embora a injustiça seja uma arma dolorosa, tranquilizam-me a consciência de minha inocência e a certeza de que o erro será reparado na instância superior. Com fé em Deus e convicta de que a Justiça prevalecerá”, concluiu o pronunciamento.

Deixe seu comentário

Denúncia: Hospital Regional Tarcísio Maia em Mossoró e UPAS sem médicos ortopedistas

16 Maio2017

Por Jbelmont às 15h21

Ouvinte: Rosaly Silva: Teria como VC fazer uma denuncia no seu programa é que os médicos do HRTM estão se recusando a atender os pacientes

Do Programa: Como, assim? Eu fui com meu filho ao hospital e o médico não quiz atender me mandaram procurar a UPA fui na UPA me mandaram para HRTM. Porque na UPA não tem ortopedista

Do Blog: Como pode, um Hospital Regional não ter ortopedista, numa cidade de 300 mil habitantes, onde todos os dias muitas pessoas precisam desse tipo de atendimento. todos os dias dezenas de pessoas são acidentadas de quedas, principalmente quedas de motos, acidentes de moto, pois aqui em Mossoró, tem mais moto do que carro e todo santo dia há registros de acidentes.


Não tem cabimento o HRTM, não ter médico ortopedista atendendo a população. Nas UPAs, também não tem. Aí fazer o que! pedir Socorro a prefeita, ao governador ou apelar para a justiça obrigar a atender.

Deixe seu comentário

Cláudia Cruz joga culpa para Eduardo Cunha e pede absolvição

16 Maio2017

Por Jbelmont às 09h31

Jornalista pede que seja declarada sua inocência

Por Redação, com Folhapress

 

 

Os advogados de Cláudia Cruz usaram trecho da sentença em que o juiz federal Sergio Moro condenou seu marido, o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), como argumento para pedir a absolvição da cliente.

 

Cláudia Cruz é acusada pelo Ministério Público Federal de lavagem de dinheiro e evasão de divisas em processo decorrente da Operação Lava Jato.

 

Segundo os procuradores, ela se beneficiou de dinheiro de propina que Eduardo Cunha recebeu por negócios da Petrobras na África. O processo contra Cláudia Cruz também tramita na 13ª Vara Federal, em Curitiba, sob a responsabilidade de Sergio Moro.

 

A defesa de Cláudia Cruz alega que ao justificar a condenação de Eduardo Cunha a 15 anos e quatro meses de prisão, o juiz Sergio Moro reconheceu que ela não movimentou dinheiro de corrupção.

 

Os advogados destacam um trecho da sentença, assinada em 30 de março passado, em que Moro diz que “[recursos usados por Cláudia Cruz] não foram provenientes de vantagem indevida decorrente do contrato de aquisição pela Petrobras dos direitos de exploração do Bloco 4 em Benin”.

 

Os valores da propina a Cunha teriam saído da compra, pela Petrobras, de 50% dos direitos de exploração de um campo de petróleo em Benin, na África, no valor de US$ 34,5 milhões. O negócio foi tocado pela diretoria internacional da estatal, cota do PMDB no esquema de corrupção. O suborno teria sido pago em contas no exterior.

 

Segundo os advogados, Sergio Moro em sua sentença afirmou que o dinheiro da propina permaneceu em trusts no exterior, portanto não foi usado para pagar as despesas do cartão de crédito usado por Cláudia Cruz.

Deixe seu comentário

Delação de Palocci dá calafrios em banqueiros e empresários do País

16 Maio2017

Por Jbelmont às 09h11

iminente delação de Antônio Palocci não provoca calafrios apenas no mundo político. Banqueiros e empresários de renome estão preocupados com o que o ex-ministro pode contar à Lava Jato e a outras operações, como a Zelotes.

 

Palocci foi o petista mais próximo dos donos do dinheiro. Em 2002, ajudou a acalmar o mercado para a chegada do partido ao poder. Idealizou a “Carta ao Povo Brasileiro”, na qual Lula se comprometeu com a responsabilidade fiscal e o controle da inflação. A receita deu certo, e o médico foi nomeado ministro da Fazenda.

 

No cargo, Palocci ampliou os laços com a elite do capitalismo brasileiro. Chegou a sonhar com a Presidência, mas foi abatido no escândalo do caseiro. Voltaria ao Planalto no início de 2011, como chefe da Casa Civil do governo Dilma Rousseff.

 

A nova temporada no poder não durou um semestre. Em maio, a Folha revelou que o petista havia multiplicado o patrimônio por 20 com uma consultoria de pouca visibilidade e muito sucesso. Ele caiu, mas se recusou a abrir a lista de clientes.

 

O segredo começou a ser desfeito em setembro passado, quando a Lava Jato prendeu Palocci e começou a abrir sua caixa-preta —ou caixa-forte, a julgar pelos valores envolvidos.

 

Numa das frentes de investigação, descobriu-se que a consultoria do ex-ministro recebeu R$ 81,3 milhões de 47 empresas. A lista inclui bancos, seguradoras, imobiliárias e montadoras de veículos. É uma clientela ampla, que teve milhões de motivos para bater na porta do petista.

 

FOLHAPRESS

Deixe seu comentário

Prefeita Rosalba participa da XX Marcha em Defesa dos Municípios

15 Maio2017

Por Jbelmont às 23h01

A prefeita Rosalba Ciarlini está em Brasília onde participa da XX Marcha em Defesa dos Municípios. O evento é considerado um dos maiores em número de autoridades do mundo e ocorre no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB).

 

Defensora da causa municipalista e do fortalecimento das cidades, a prefeita participa dos debates que, entre outras pautas, abordam as reformas que estão em discussão no país. Os presidentes da República, Michel Temer, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, estão entre as autoridades que deverão participar da mobilização.

Deixe seu comentário